Festival de cinema internacional tem a bicicleta como protagonista

A bicicleta, relevante veículo de mobilidade urbana, é a grande estrela de um festival internacional de cinema que começa hoje (19) e vai até 31 de julho no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), em Brasília.

O protagonismo desse meio de transporte vai para além da tela, abrangendo, também, atividades como passeios, palestras, oficinas, atividades educativas, debates e alimentação.

O Cine Bike – Festival Internacional de Cinema e Mobilidade Urbana pretende promover, junto ao público, reflexões visando mudanças de hábito a partir da conscientização sobre questões envolvendo meio ambiente e sustentabilidade, “com muita informação e divertimento”.

O elemento catalisador para essa revolução tem, como protagonista, a bicicleta. De acordo com o CCBB, eventos similares são organizados anualmente em cidades como Nova York, Tóquio, Xangai e Montevideo.

Todas as atividades têm entrada franca. A programação conta com exibições de filmes ao ar livre e na sala de cinema, exibições virtuais, oficinas, debates, passeio ciclístico, entre outras atividades educativas.

A programação completa, inclusive com as sinopses dos filmes a serem exibidos, pode ser acessada no site do festival.

Festival

A abertura do festival será hoje, às 19h30, com a exibição de O garoto e a Bicicleta, primeiro filme dirigido por Ridley Scott, e da produção portuguesa A alma de um ciclista, dirigida por Nuno Tavares.

“Ao longo de duas semanas, serão exibidos filmes inéditos sobre mobilidade urbana, realizados por diretores independentes de várias partes do mundo; clássicos do cinema que têm a bicicleta como um elemento relevante da narrativa; ficções; animações; e títulos especialmente selecionados para o público infantil”, detalha a organização do festival, que terá também um passeio ciclístico, apoiado pelo Detran-DF.

Os visitantes poderão participar de oficinas de manutenção básica para pequenos consertos de bicicletas; atividades educativas para crianças (como aprender a andar de bicicleta, por exemplo); área para food-bikes; painel de debates, entre várias outras ações.

Filmes

Entre os filmes, há produções da França, Holanda, Portugal, Grã-Bretanha, Suécia, Itália e Alemanha, além do Brasil. São títulos como Carrossel da Esperança, de 1949, uma comédia escrita e protagonizada por Jacques Tati; o premiado holandês Porque Pedalamos; a animação As Bicicletas de Belleville; o clássico italiano Ladrões de Bicicleta; a produção inédita portuguesa A alma de um ciclista, de Nuno Ramos; e o sueco Bikes vs Carros, de Fredrik Gertten.

Destaque também para a comédia francesa Pânico na cidade, de Yann Le Quellec; o curioso Velotopia, do francês Erik Fretel; o histórico Meu segredo Italiano, de Oren Jacoby; a produção alemã O quadro Invisível, de Cynthia Beatt; e Rainha Bicicleta, de Laurent Védrine.

Entre os representantes do cinema brasileiro estão A volta em Minas e a produção brasiliense No rastro das cargueiras.

Publicação Agência Brasil – Read More