Inclusão social: Jovens da Maré terão aulas de games

Jovens da comunidade Nova Holanda e do Morro do Timbau, no conjunto de favelas da Maré, na zona norte do Rio de Janeiro, vão poder frequentar dois novos polos criados na região pelo projeto AfroGames. O objetivo é promover a inclusão digital e a geração de impacto social em jovens em situação de vulnerabilidade, moradores de favelas cariocas.

Os dois polos já estão preparados para receber 200 alunos. Eles terão aulas de inglês e de programação de jogos. Os promotores das atividades querem que, por meio dos novos conhecimentos, esses jovens possam aumentar as possibilidades de profissionalização e buscar a inclusão das favelas no mundo bilionário dos games. O objetivo principal é utilizar a educação e a tecnologia como forma de transformação social.

As aulas, que serão duas vezes na semana, vão começar na segunda-feira (18) e terão duração de duas horas. Cada unidade vai receber 100 alunos.

A iniciativa surgiu em 2019 na comunidade de Vigário Geral, também na zona norte, No projeto já instalado são atendidos 170 jovens. O diretor do AfroGames, Ricardo Chantilly, informou que pelo menos 20% dos alunos que já passaram pela primeira unidade do projeto estão no mercado de trabalho. De acordo com ele, as empresas já procuram o projeto em busca de mão de obra.

Para o diretor, a ampliação do projeto é um desafio:  “O Complexo da Maré é um desafio, por ser o maior complexo de favelas do Rio. Para nós, entrar nesse território tão populoso e dar oportunidade de tecnologia de ponta para os jovens que moram ali é um sonho”, apontou.

Publicação Agência Brasil – Read More