Jovem Pan: Programa ABC+: Agricultura de baixo carbono é destaque do Brasil na COP26

Nesta segunda-feira, 18, será lançado o ABC+, programa de agricultura de baixo carbono com metas até 2030. O objetivo é adicionar novas práticas sustentáveis à produção brasileira com o uso de sistemas de irrigação e terminação intensiva de bovinos em uma área de 72 milhões de hectares. O foco do ABC+ é ampliar o uso de soluções tecnológicas, melhorar a renda do produtor rural e ter uma agropecuária mais adaptada à mudança do clima. Ao longo da última década, o ABC contribuiu com o avanço das boas práticas de manejo no Brasil. Estudos apontam que o emprego de tecnologias favoreceu a redução do custo marginal de produção e ajudou a agregar valor aos produtos considerados mais neutros em relação à emissão de carbono.

No crédito rural com juros subsidiados, o programa de baixa emissão de carbono tem a segunda taxa mais baixa do Plano Safra, o que contribui para democratizar as práticas. A Diretora do Departamento de Produção Sustentável e Irrigação do Ministério da Agricultura, Mariane Crespolini, explica como o solo e as florestas contribuem para a descarbonização da agropecuária. “A agropecuária brasileira feita em bases tecnológicas e sistemas sustentáveis pode ser descarbonizante. Com tecnologia e manejo de solo a gente pode sequestrar carbono na atmosfera, sequestrar e estabilizar o solo. Não apenas via solo, há também as florestas plantadas, o sistema ILPF que integra lavoura, pecuária e floresta.”

Apesar de o Brasil contribuir com apenas 2,8% das emissões globais e não possuir o histórico de emissões de gases de efeito estufa como os países desenvolvidos, recai sobre o país a responsabilidade de manter a maior cobertura vegetal tropical do planeta e de possuir uma agricultura tecnificada e pujante, destaca estudo publicado pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil. O agro tem no cumprimento do Código Florestal e na adoção das técnicas do Plano de Agricultura de Baixa Emissão de Carbono algumas das ferramentas para tornar a produção mais sustentável e rentável. Apesar dos enormes desafios de um país com dimensão continental, com o avanço das práticas descarbonizantes, de monitoramento e melhora da comunicação do que é feito aqui, podemos ter um efeito positivo na reputação e consequente atração de investimentos para o setor que hoje já contribui com 30% do PIB nacional.

Conteúdo Jovem Pan News – Leia mais no link Read More