Jovem Pan: Veja o que mudou no São Paulo desde a última passagem de Rogério Ceni como técnico

Ex-goleiro e ídolo do São Paulo, Rogério Ceni foi anunciado nesta quarta-feira, 13, como o novo técnico do time principal masculino depois da demissão de Hernán Crespo. O treinador de 48 anos deixou o comando do Flamengo em julho e estava sem emprego desde então. Contestado por parte da torcida, Rogério volta ao cargo que exerceu em 2017 com um cenário diferente. Nova diretoria, pressão por títulos e aposta em medalhões foram algumas das mudanças que ocorreram no clube nos últimos quatro anos. Quando saiu, o presidente era Carlos Augusto Barros e Silva, o Leco, que exerceu o mandato de 2015 a 2020, e era muito criticado por opositores e torcedores. O atual presidente é Julio Casares, que assumiu o mandato em 1º de janeiro de 2021 e faz parte da coalisão com a antiga diretoria. Algo importante que também não irá pesar sobre os ombros de Ceni é o peso de um título. Em 2021, Crespo levou o São Paulo ao título do Campeonato Paulista e quebrou uma sequência de nove anos sem nenhuma taça e 15 anos sem o estadual.

No entanto, para uma equipe tricampeã de Libertadores e tricampeã mundial, almejar apenas o Campeonato Estadual é pouco e os torcedores pensam em competições internacionais. Próximo da zona de rebaixamento na atual edição do Brasileirão, o Tricolor Paulista está longe da classificação para a Sul-Americana e esse será um grande desafio para o novo técnico. O elenco também está renovado. Na época de Ceni, o elenco era montado por ‘medalhões’ como Diego Lugano, Lucas Pratto, Christian Cueva e Hernanes, além de alguns nomes contestados. Com esse time, o São Paulo terminou o Campeonato em 13º lugar. Hoje o Tricolor conta com muitos nomes estrangeiros contratados para essa temporada como Orejuela, Rigoni, Benítez, Calleri e Éder e que chegaram prometendo muito futebol. No momento, Rigoni é o mais regular.

Número de lesões é problema atual

O time do São Paulo passa por muitos problemas físicos na temporada. Contando que a equipe decidiu não tirar férias após o fim da temporada 2020 – atrasada pela Covid-19 – a carga pode ter ficado maior para os atletas. Somente no Campeonato Brasileiro, Welington, Benítez, Emiliano Rigoni, Daniel Alves (quando ainda atuava no time) e Luciano foram baixa por alguns jogos devido à lesões. Em agosto, um levantamento apontou que o Tricolor era o clube com mais problemas médicos da Série A até o momento, com 32 jogadores tendo frequentado o DM. Essa será uma questão para Rogério Ceni se buscar brigar por melhores resultados até dezembro.

Conteúdo Jovem Pan News – Leia mais no link Read More